Sistema de Excelência em Gestão Sindical

O Sistema de Excelência em Gestão Sindical (SEGS) é um programa que incentiva o desenvolvimento da excelência na gestão das Federações e Sindicatos filiados ao Sicomercio, por meio de critérios baseados nos fundamentos do Prêmio Nacional de Qualidade (PNQ). Seus principais objetivos são:

  • Permitir às entidades identificar o grau de desenvolvimento (maturidade) das entidades sindicais nos aspectos: associativismo, representatividade, estrutura diretiva, gestão financeira e produtos e serviços oferecidos.
  • Capacitar os líderes em práticas gerenciais de reconhecida excelência, que possibilitem incrementar a atuação dos Sindicatos e Federações do comércio de bens, serviços e turismo.
  • Possibilitar o compartilhamento de práticas gerenciais de sucesso (benchmarking).
  • Proporcionar o crescimento individual dos líderes e executivos sindicais e, conseqüentemente, das entidades e das empresas representadas.
  • Com a implantação do SEGS, os líderes e executivos sindicais terão uma ferramenta para auxiliar na:
  • Elaboração e no acompanhamento do planejamento estratégico de suas entidades, na implantação de planos de ação e na construção de indicadores de desempenho estratégicos e gerenciais dos processos-chave.
  • Realização de ampla avaliação gerencial do sindicato, analisando e aperfeiçoando as práticas de gestão da entidade.
  • Disponibilização de produtos e serviços compatíveis com as necessidades das empresas representadas.

O SEGS possui dois níveis de avaliação: o nível 1, com avaliação máxima de 250 pontos, e o nível 2, que permite alcançar 500 pontos. Dessa forma, proporciona às entidades modelos de avaliação de acordo com a maturidade da gestão local. Para praticar o SEGS Nível 2, a entidade deve ter, no mínimo, dois anos de aplicação do Nível 1, bem como ter pontuação acima de 200 pontos na última Avaliação de Consenso.

A gestão das entidades é avaliada mediante respostas a questões objetivas, que estão distribuídas em oito critérios, a saber:

Liderança
Avalia o sistema de liderança e o comprometimento pessoal dos membros da Diretoria; a disseminação da Missão, Visão e Princípios do Sindicato ou Federação; e, também, como é analisado o desempenho global da entidade. Estratégias e Planos Avalia o processo de formulação e implementação das estratégias, através da definição de objetivos estratégicos e indicadores, do estabelecimento de metas, do desdobramento dos planos de ação e do acompanhamento da realização das etapas previstas.

Clientes
Avalia como a entidade identifica as necessidades e a satisfação dos clientes; como divulga seus produtos e serviços; e como estreita seu relacionamento com os representados.

Sociedade
Avalia como a entidade interage com a sociedade de forma ética e transparente.

Informação e Conhecimento
Avalia como a entidade mantém e disponibiliza as informações e o conhecimento necessários ao seu funcionamento.

Pessoas 
Avalia o relacionamento da entidade com a diretoria e os colaboradores, como são disponibilizadas as condições necessárias para o desenvolvimento do trabalho e como a força de trabalho é desenvolvida e capacitada.

Processos
Avalia como a entidade identifica e gerencia os processos principais e os processos de apoio. Também avalia como a entidade se relaciona com os fornecedores e conduz a gestão econômico-financeira, visando à sustentabilidade econômica.

Resultados
Avalia a evolução do desempenho da entidade em relação a clientes, situação financeira, pessoas, fornecedores, processos relativos aos serviços/produtos, sociedade e processos de apoio. Avalia também os níveis de desempenho em relação aos resultados das entidades de referência.

Fundamentos da excelência
Os fundamentos da excelência expressam conceitos reconhecidos internacionalmente e que se traduzem em práticas ou fatores de desempenho encontrados em organizações líderes em âmbito mundial, que buscam constantemente aperfeiçoar-se e adaptar-se às mudanças globais.

Os fundamentos do PNQ em que se baseiam os Critérios de Excelência do SEGS são:

1 Pensamento Sistêmico

Entendimento das relações de interdependência entre os diversos componentes de uma organização, bem como entre a organização e o ambiente externo.

2 Aprendizado Organizacional

Busca e alcance de um novo patamar de conhecimento para a organização por meio da percepção, reflexão, avaliação e compartilhamento de experiências.

3 Cultura de Inovação

Promoção de um ambiente favorável à criatividade, experimentação e implementação de novas idéias que possam gerar um diferencial competitivo para a organização.

4 Liderança e Constância de Propósitos

Atuação de forma aberta, democrática, inspiradora e motivadora das pessoas, visando ao desenvolvimento da cultura da excelência, à promoção de relações de qualidade e à proteção dos interesses das partes.

5 Orientação por Processos e Informações

Compreensão e segmentação do conjunto das atividades e processos da organização que agreguem valor para as partes interessadas, sendo que a tomada de decisões e execução de ações devem ter como base a medição e análise do desempenho, levando-se em consideração as informações disponíveis, além de incluirem os riscos identificados.

6 Visão de Futuro

Compreensão dos fatores que afetam a organização, seu ecossistema e o ambiente externo no curto e no longo prazo, visando à sua perenização.

7 Geração de Valor

Alcance de resultados consistentes, assegurando a perenidade da organização pelo aumento de valor tangível e intangível de forma sustentada para todas as partes integrantes.

8 Valorização das Pessoas

Estabelecimento de relações com as pessoas, criando condições para que elas se realizem profissionalmente e humanamente, maximizando seu desempenho por meio do comprometimento, desenvolvimento de competências e espaço para empreender.

9 Conhecimento sobre o Cliente e o Mercado

Conhecimento e entendimento do cliente e do mercado, visando à criação de valor de forma sustentada para o cliente e, conseqüentemente, gerando maior competitividade nos mercados.

10 Desenvolvimento de Parcerias

Desenvolvimento de atividades em conjunto com outras organizações, a partir da plena utilização das competências essenciais de cada uma, objetivando benefícios para as partes.

11 Responsabilidade Social

Atuação que se define pela relação ética e transparente da organização com todos os públicos com os quais se relaciona, estando voltada para o desenvolvimento sustentável da sociedade, preservando recursos ambientais e culturais para gerações futuras; respeitando a diversidade e promovendo a redução das desigualdades sociais como parte integrante da estratégia da organização.

Ciclo de avaliação 2011
As principais etapas previstas para o ano de 2011 e os prazos de realização estão descritos na tabela abaixo (clique na imagem para ampliá-la):

As etapas definidas na tabela estão explicadas abaixo:

a) Encontro de Multiplicadores: coordenado pelo Departamento de Planejamento (DEPLAN) da CNC para disseminação do Programa aos Multiplicadores, debatendo suas funções no processo.

b) Agenda de Trabalho das Federações: planejamento das ações (treinamentos, oficinas e consultorias) que os Assessores realizarão na Federação e em seus Sindicatos na etapa de implementação de práticas. A Agenda de Trabalho da Federação é definida pelo Multiplicador com apoio do Assessor da CNC e anuência do Presidente da Federação, devendo ser remetida ao Deplan até o dia 31/03.

c) Treinamento Inicial: capacitação para nivelamento das entidades abordando aspectos de gestão organizacional com foco na construção e acompanhamento de indicadores de desempenho.

d) Implementação de Práticas: as entidades dispõem de aproximadamente cinco meses para executar o seu Plano de Melhorias. É o momento de implantar novas práticas de gestão na entidade e/ou aprimorar as já existentes. Os Assessores Técnicos da CNC apoiam esta etapa conforme planejado na Agenda de Trabalho de cada Federação, que deve definir, inclusive, a forma de atendimento aos Sindicatos.

e) Treinamentos de Avaliadores: capacitação específica para qualificar os Avaliadores das entidades para realizarem a Autoavaliação e a Avaliação de Consenso. Para o Nível 1 são 8 horas/aula e para o Nível 2 são 12 horas/aula.

f) Autoavaliação: a cada novo ciclo as entidades necessitam realizar sua própria avaliação, por meio dos Avaliadores treinados, com base no Guia da Excelência, de forma a diagnosticar a gestão da entidade e planejar ações de melhoria. A autoavaliação é registrada em arquivo eletrônico, disponível no site do SEGS (AvaliaçãoN1.xls ou AvaliaçãoN2.xls, conforme o Nível que a entidade pratica), que deve ser preenchido corretamente e encaminhado ao Multiplicador da Federação, para que a entidade esteja apta a realizar a Avaliação de Consenso.

g) Avaliação de Consenso: as Federações e os Sindicatos realizam avaliações cruzadas, ou seja, com a presença de um Avaliador cedido por outra entidade, agregando visão externa e permitindo o aprendizado conjunto. A Avaliação de Consenso é registrada em arquivo eletrônico, disponível no site do SEGS (AvaliaçãoN1.xls ou AvaliaçãoN2.xls, conforme o Nível que a entidade pratica), que deve ser preenchido corretamente e encaminhado ao Deplan (deplan@cnc.com.br) e ao Multiplicador da Federação até 30 dias após a data do Treinamento de Avaliadores. A definição das entidades visitantes e a programação da agenda de visitas são atribuições do Multiplicador, com apoio do Assessor Técnico e em concordância com os Sindicatos.

h) Reconhecimento das Entidades Participantes: entrega dos certificados “Entidade Rumo à Excelência na Gestão Sindical” emitidos pela CNC para todas entidades que participaram de todas as etapas do ciclo.

Código de conduta
A Confederação Nacional do Comércio de Bens,Serviços e Turismo é uma entidade sindical que representa os direitos e interesses de empreendedores do comércio de bens, de serviços e de turismo de todo o Brasil e tem como premissa o estabelecimento de relações de qualidade com todas as partes interessadas. A responsabilidade sobre o gerenciamento do Programa Sistema de Excelência em Gestão Sindical (SEGS) envolve um amplo universo de pessoas cujas interações devem ser pautadas em valores éticos.

Para isso, o Código de Conduta do SEGS tem por objetivo comprometer todos os colaboradores do Programa com os princípios éticos que norteiam a conduta, desde a adesão até o reconhecimento, além de disseminá-los para a nossa rede de relacionamento.

Glossário

  • Conflito de Interesses: toda situação em que o colaborador possa se beneficiar do vínculo de colaborador da CNC e do SEGS para obter vantagem pessoal ou benefício a terceiros.
  • Partes Interessadas: qualquer pessoa ou organização que tenha interesse ou relação (diretos ou indiretos) com a CNC ou que possam ser influenciadas pela sua atuação. Exemplo: colaboradores, prestadores de serviço, clientes, fornecedores, parceiros, comunidades, ONGs, associações, governo e sociedade.
  • Avaliação de consenso: avaliação final, em que é feita avaliação cruzada, isto é, o avaliador de outra entidade irá aplicar o Guia de Excelência na entidade visitada.
  • Relatório de Gestão: relatório final com o diagnóstico de gestão da entidade avaliada.

A todos os colaboradores do SEGS

  • Executar as funções da melhor maneira possível, empreendendo es¬forços para atingir os objetivos traçados pelo SEGS;
  • Não aceitar ou receber, direta ou indiretamente, gratuidades ou vantagens pessoais de qualquer natureza que representem valor, provenientes de pessoas físicas ou jurídicas que se relacionem com a CNC;
  • Não se comunicar, apresentar-se ou executar qualquer atividade em nome da CNC e do SEGS, ou passar a impressão de agir dessa forma, sem estar devidamente autorizado para tal. Quando autorizado, apresentar-se apenas na função específica para a qual tenha sido designado;
  • Não agir de forma antiprofissional e sem zelo, junto ao público e a interlocutores, que possa, de alguma forma, afetar a credibilidade do SEGS;
  • Não deixar de zelar pela correta aplicação deste Código e consultar ou informar o Departamento de Planejamento da CNC, possíveis ocorrências;
  • Agir com absoluta cautela e zelo ao lidar com informações e fatos cuja divulgação possa gerar danos à imagem do SEGS;
  • Tratar com a devida confidencialidade informações estratégicas sobre as entidades participantes.

Aos Assessores Técnicos

  • Tratar com cordialidade todos os envolvidos no SEGS, salientando a importância de sua participação no Projeto;
  • Não aceitar honorários, comissão ou atenções pessoais que representem valor, de entidades participantes, que possam, de alguma maneira, gerar suspeitas quanto à integridade do Projeto;
  • Não oferecer serviços de consultoria ou qualquer tipo de assessoramento para entidades, excetuando aqueles orientados pela CNC;
  • Não usar informações privilegiadas decorrentes do processo de avaliação como forma de obter vantagens pessoais ou de oferecer serviços profissionais;
  • Não levar informações/documentos durante o processo de avaliação de consenso que sejam de propriedade da CNC ou relativas às entidades participantes;
  • Salvaguardar as informações recebidas durante o processo de avaliação, relativas às entidades candidatas, evitando discuti-las com pessoas de seu relacionamento, outros examinadores e colegas de profissão, exceto quando essa troca de informações fizer parte do processo de avaliação.

Aos Avaliadores

  • Não aceitar honorários, comissão ou atenções pessoais que representem valor, de entidades participantes, que possam, de alguma maneira, gerar suspeitas quanto à integridade do Projeto;
  • Não oferecer serviços de consultoria ou qualquer tipo de assessoramento para entidades que tenha avaliado;
  • Não utilizar ou reproduzir, total ou parcialmente, em benefício próprio, para fins comerciais ou de recebimento de vantagens diretas ou indiretas, sem prévia autorização, quaisquer materiais ou publicações de propriedade da CNC;
  • Não se comunicar com as entidades participantes solicitando documentação, informações ou esclarecimentos sobre o Relatório da Gestão, planejamento da visita ou quaisquer outros assuntos relativos ao processo de avaliação, sem autorização prévia da CNC;
  • Não usar a logomarca do SEGS ou da CNC como identificação de sua condição de avaliador;
  • Não usar informações privilegiadas decorrentes do processo de avaliação como forma de obter vantagens pessoais ou de oferecer serviços profissionais;
  • Não levar informações/documentos durante o processo de avaliação de consenso que sejam de propriedade da CNC ou relativas às entidades participantes;
  • Salvaguardar as informações recebidas durante o processo de avaliação, relativas às entidades participantes, evitando discuti-las com pessoas de seu relacionamento, outros examinadores e colegas de profissão, exceto quando esta troca de informações fizer parte do processo de avaliação;
  • Não reproduzir ou divulgar as informações do Relatório da Gestão ou de qualquer outro documento utilizado no processo de avaliação das entidades participantes;
  • Não aceitar a designação para participar da avaliação de uma entidade participante se houver ou puder parecer que há qualquer situação de conflito de interesses, tendo em vista fatores que possam ser ou parecer impeditivos de uma avaliação independente e imparcial.

Entidades aderidas em Goiás

Federação do Comércio do Estado de Goiás
Sindicato do Comércio Varejista de Materiais de Construção, Louças, Tintas, Ferragens e Ferramentas Manuais, Produtos Metalúrgicos, Madeiras e Compensados, Materiais Elétricos e Hidráulicos, Pisos e Revestimentos, Tubos e Conexões, Vidros e Maquinismos para Construção no Estado de Goiás
Sindicato das Empresas de Asseio, Conservação e de Outros Serviços Similares Terceirizáveis dos Estados de Goiás e Tocantins
Sindicato das Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis e dos Condomínios de Edifícios Residenciais e Comerciais no Estado de Goiás
Sindicato das Empresas de Informática, Telecomunicações e Similares do Estado de Goiás
Sindicato de Turismo e Hospitalidade de Anápolis
Sindicato de Turismo e Hospitalidade no Estado de Goiás
Sindicato do Comércio Atacadista de Anápolis
Sindicato do Comércio Atacadista no Estado de Goiás
Sindicato do Comércio Varejista de Anápolis
Sindicato do Comércio Varejista de Carnes Frescas no Estado de Goiás
Sindicato do Comércio Varejista de Catalão
Sindicato do Comércio Varejista de Gêneros Alimentícios de Rio Verde
Sindicato do Comércio Varejista de Jataí
Sindicato do Comércio Varejista de Material Óptico, Jóias e Relógios e Cine Foto no Estado de Goiás
Sindicato do Comércio Varejista de Produtos Farmacêuticos no Estado de Goiás
Sindicato do Comércio Varejista de Rio Verde
Sindicato do Comércio Varejista de Veículos e de Peças e Acessórios para Veículos no Estado de Goiás
Sindicato do Comércio Varejista no Estado de Goiás
Sindicato dos Armazéns Gerais do Estado de Goiás
Sindicato dos Comissários e Consignatários do Estado de Goiás
Sindicato dos Despachantes Autônomos e Similares do Estado de Goiás
Sindicato dos Proprietários de Pit-Dog em Goiânia
Sindicato dos Representantes Comerciais no Estado de Goiás